Nosso Propósito

Os primos Fábio Dias Teixeira e João Alberto Licht Teixeira, empenhados em resgatar as raízes de sua família, desenvolveram esta página e vêm coletando dados de seus familiares ha muitos anos. São aceitos quaisquer dados de ramos diretos e/ou colaterais.
Quem quiser colaborar, utilize nossa página ou outro meio qualquer e nos envie sugestões, dados, cópias de certidões, convites, fotografias e qualquer material que possa nos ajudar a deixar nossa árvore genealógica mais completa e fiel possível. Desde já agradecemos a todos.


Do Paraíso a Caçapava do Sul

No dia 05 de maio de 2012, na loja Richter Decorações Ltda, os primos João Alberto Licht Teixeira e Fabio Dias Teixeira estavam trabalhando nos registros da genealogia de sua família quando descobriram na internet um documento com a genealogia do ex-presidente brasileiro Getúlio Dornelles Vargas, uma vez que têm antepassados comuns (os portugueses da família D'Ornellas ou de Ornellas).
A surpresa foi grande ao perceberem que a ascendência de Getúlio remonta ao Rei Lothar I (ou Lotário I ou ainda Clotário I), último Rei Merovíngeo, com sua terceira esposa Ingundi. Partindo daí, os primos utilizaram o Google e Wikipedia para retroceder mais ainda nas pesquisas e acabaram por descobrir que alguns dos nomes que estavam pesquisando, já estavam lançados no site FamilySearch, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e daí para a frente, as surpresas foram aumentando até a surpresa maior: finalmente chegaram a ADÃO e EVA.

Se você quiser ver o nosso trabalho, por favor clique aqui .
Se deseja colaborar, utilize nosso formulário de envio de dados e aproveite para cadastrar-se gratuitamente e ter seu próprio perfil para receber notícias do site.


Mais uma descoberta importante

Em 24 de março de 2015, mais uma vez eu e o primo Fabio fomos visitar um outro primo, Nilton Fagundes Dias morador de Santa Barbinha, mas há coisas que acontecem porque têm de acontecer e, neste dia, com intuito de obter informações sobre onde morava o primo Nilton, resolvemos perguntar em uma residência onde, ao conversar com o proprietário, descobrimos ser mais um grande informante da história de nossos antepassados e que, no transcorrer da conversa, nos disse haver um pequeno cemitério abandonado em suas terras, cerca de 500 metros da casa e nos mostrou com o dedo indicador onde ele estava. Ele apontava para o topo de um coxilha completamente ocupada pela soja e, no seu topo, havia um pequeníssimo capão de mato. Era cerca de 14 horas e, além de estar muito quente, não estávamos com roupas apropriadas mas, desafio aceito, eu e o Fabio fomos até lá e fotografamos o que conseguimos. Entre as fotos, uma do que fora o túmulo de Silvano Teixeira de Assunpção, meu bisavô, avô paterno de meu pai e consequentemente trisavô de Fabio. Fotos abaixo.